“As vocações nascem na oração e da oração. E só na oração podem perseverar e dar fruto” (Papa Francisco). « Diocese de Viana

“As vocações nascem na oração e da oração. E só na oração podem perseverar e dar fruto” (Papa Francisco).

AS VOCAÇÕES NASCEM DA ORAÇÃO

 

“As vocações nascem na oração e da oração. E só na oração podem perseverar e dar fruto” (Papa Francisco).

 

A palavra vocação tem sua origem no verbo latino “vocare” que significa chamar. O chamado é sempre de Deus, que é feito no mais íntimo do coração de homens e mulheres, e vem através de pequenos sinais que lhes são sensíveis no dia a dia. Cada pessoa em si, pelo simples fato de nascer já recebeu um chamado – aquele da humana existência. É bom dizer que todos possuem uma vocação específica, esta, no decorrer da vida vai se revelando e ao se fazer conhecida deve ser trabalhada para que bem vivida ajude nos planos de Deus na formação e transformação do mundo ao qual estamos inseridos.

Descobrir no decorrer da vida terrena à qual vocação cada pessoa está sendo chamada nem sempre é tarefa fácil, se voltarmos nosso olhar para tantos personagens bíblicos que foram chamados por Deus iremos perceber isso, e em nossos dias vivemos em um mundo tão diversificado que quase não conseguimos perceber os pequenos traços de vocação que se mostram a nós. Tal dificuldade acaba interferindo e de certa forma encobrindo a voz de Deus que sussurra no coração de seus filhos vocacionados. Por isso, é necessário que se viva em constante comunhão com o Pai, e que se dedique tempo em silêncio e oração para escutar verdadeiramente a voz do Senhor e o que Ele quer de nós.

São Paulo na carta aos filipenses (cf. 3:14), nos diz que devemos perseguir o alvo, ou seja, buscar a Deus, vivenciar de maneira intensa seus ensinamentos, realizar a sua santa vontade para que com júbilo e graça possamos ganhar o prêmio celestial.

O mês de agosto, é intitulado pela Igreja no Brasil como o mês das vocações, por isso dentro das quatro semanas deste mês, cada uma nos convida a rezar por uma vocação específica. Na primeira dedica-se a vocação sacerdotal, os ministros ordenados (Papa, Bispos, Presbíteros e Diáconos). Na segunda dedica-se a vocação matrimonial, a semana da família (há grande incentivo nas celebrações sobre a formação cristã-familiar, para que as mesmas possam ser bases para uma sociedade melhor, pois são delas que surgem as vocações). Na terceira dedica-se à vida consagrada e religiosa (cujo a Igreja agradece e reza pelo serviço prestado por homens e mulheres que se consagram ao serviço do reino nos mais diversos carismas). E na última semana a vocação celebrada é a dos leigos (os quais são a grande maioria dos membros que formam o corpo de Cristo).

Portanto, rezemos por todas as vocações para a Igreja, pois a messe é grande são poucos os operários. Apeguemo-nos na firme esperança de que neste mês das vocações Deus continue falando no coração de seus filhos e filhas para as mais diversas formas de serviço a serem prestados a benefício do seu povo, seja no âmbito eclesial ou social.

 

Por José Luiz Araújo de Oliveira, Seminarista do 1º ano de filosofia.

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *