Notícias › 17/08/2018

Encontro das Famílias: Missa de encerramento é desafio inédito para organizadores

A missa de encerramento do Encontro Mundial das Famílias, que será presidida pelo Papa Francisco no domingo 26 de agosto, em Dublin, é considerado o maior evento europeu do ano. Os 500 mil ingressos gratuitos se esgotaram em poucos dias de reserva on-line.

Com números que saltam aos olhos, a Celebração Eucarística no Phoenix Park é um desafio para os organizadores. “É uma missa para meio milhão de fiéis, com milhares e milhares de voluntários, 4 mil cibórios, mais de 3 mil pessoas no coral. Estamos sendo orientados pelo mestre de cerimônia papal, que é muito gentil e tem muita experiência nessas grandes missas. Mas essa logística é algo que nunca vivi antes”, revela o responsável pelo comitê litúrgico do Encontro das Famílias, padre Damian Mc Neice.

A celebração será na área da Cruz Papal, onde São João Paulo II celebrou a Eucaristia com mais de 1,2 milhão de pessoas em setembro de 1979, na única viagem de um papa à Irlanda. “A área da Cruz Papal é o lugar ideal para esse evento. O foco será a cruz papal, mas será incorporado um arco de 55 metros de largura, onde haverá o presbitério de 19 metros de largura e 6 metros de altura”, detalha padre Mc Neice.

Com mais de 30 metros de altura, a cruz pode ser vista de qualquer parte do gramado onde a multidão ficará durante a celebração. As 500 mil pessoas serão divididas por áreas. Cada uma terá capacidade para 1.100 fiéis, que terão espaço para se locomover e até para se aproximar dos corredores onde o Papa Francisco deverá passar a bordo do papamóvel. Dezesseis telões e dezenas de alto-falantes de alta definição serão instalados para facilitar a participação dos fiéis na liturgia.

Paramentos foram revelados essa semana

Os paramentos que serão utilizados pelo Papa Francisco e pelos concelebrantes, bem como nas missas celebradas durante o congresso pastoral, foram confeccionados por um ateliê polonês e apresentados essa semana pelo comitê litúrgico. “ No centro de cada casula está a espiral da Trindade, a mesma que pode ser vista no logo do Encontro Mundial. As três partes da espiral representam o mistério da Santíssima Trindade e também desenhos de imagens celtas, já que muitas espirais podem ser encontradas em pedras e monumentos antigos do passado da Irlanda”, explica Damian Mc Neice.

Já a cruz do altar foi esculpida em madeira no século 18 e estava sob os cuidados das irmãs carmelitas. “Os desenhos esculpidos na frente e na parte de trás da cruz contam a história da paixão e ressurreição de Cristo”, detalha padre Mc Neice.

Via Vatican News

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *