Notícias da Diocese › 22/08/2019

‘Há um plano para forçar Papa Francisco a renunciar’, denuncia superior geral dos jesuítas

Papa Francisco durante visita aos jesuítas com o superior geral Arturo Sosa, SJ (E) e o padre Orlando Torres, SJ (D) (GC36 Communications)

 

Para Arturo Sosa, é essencial que esse pontificado continue, ‘de acordo com a vontade da Igreja expressada claramente no Concílio Vaticano II, do qual Francisco é filho legítimo e direto’.

“Dentro e fora da Igreja, querem que o próximo pontífice não continue o caminho de Francisco.” Na França, foi publicado o livro Como os Estados Unidos querem mudar o papa, em tradução livre. É o que revela reportagem A reportagem publicada pelo HuffPost.it, nessa terça-feira.

“Há pessoas dentro e fora da Igreja que gostariam que o papa Francisco renunciasse, mas o pontífice não o fará.” A denúncia vem do superior geral da Companhia de Jesus, Arturo Sosa, SJ.

O prepósito geral da Companhia de Jesus, no Meeting de Rimini, explica ao site AdnKronos quais seriam as razões desse complô contra o papa Bergoglio: “Acredito que a estratégia final desses setores não é tanto ‘forçar’ o papa Francisco a renunciar, mas sim incidir na eleição do próximo pontífice, criando as condições para que o próximo papa não continue aprofundando o caminho que Francisco indicou e empreendeu”.

Para o superior dos jesuítas, pelo contrário, “é essencial que esse caminho continue, de acordo com a vontade da Igreja expressada claramente no Concílio Vaticano II, do qual o papa Francisco é filho legítimo e direto”.

 

 

“Como os Estados Unidos querem mudar o papa”, em tradução livre, do jornalista francês Nicolas Senéze (Foto: Divulgação)

Sosa não é o único a falar desse suposto complô contra o papa. Como explica o jornal Il Messaggero, está à venda na França há alguns dias um livro escrito pelo jornalista do La Croix Nicolas Senéze, cujo título é Como os Estados Unidos querem mudar o papa. O volume resume os ataques dos últimos três anos contra Bergoglio.

Tradução é de Moisés Sbardelotto

Publicada originalmente no Instituto Humanista Unisinos (IHU)

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *