Palavra do Pastor
  • A+
  • a-

As Mulheres

Salve as mulheres...salve!

Desde quando o ser humano tomou consciência de que faz parte de um projeto maior de que si mesmo, se deu conta de que sua intereza só se plenificava na vertente da alteridade; a Bíblia diz que Deus criou homem e mulher – outras criaturas. Mesmo os relatos bíblicos tendo a supremacia da narrativa masculina, a presença da mulher faz a história destonar da preponderância para o rio caudaloso do gênero, saído do coração de Deus.

Jesus Cristo não tem dificuldade nenhuma em lidar com a ‘carne da minha carne, ossos dos meus ossos’, mesmo tendo que enfrentar preconceito: ‘Se esse homem fosse mesmo um profeta, saberia que tipo de mulher está tocando nele, porque ela é pecadora’ e causar estupefação: ‘E ficaram admirados de ver Jesus falando com uma mulher...’, pelo contrário aceita até mesmo ser ajudado por elas em suas necessidades materiais: ‘ajudavam  a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam’.

No grupo dos seguidores de Jesus, a presença de seguidoras não é indiferente, elas estão no meio do povo, ‘quem me tocou’; elas acreditam n’Ele, ‘tu és o Messias, o Filho de Deus que devia vir a este mundo’; forçam sua manifestação em Caná: ‘fazei tudo o que ele vos disser’ e colaboram para sua tomada de consciência que veio para todos: ‘até os cachorrinhos comem do que cai da mesa de seus donos’; fazem parte de sua missão: ‘Os doze iam com ele, e também algumas mulheres...’;  elas avançam para serem solidárias no sofrimento, ‘batiam no peito e choravam por Jesus’; olham de longe, mas estão atentas: ‘Grande número de mulheres estavam aí, olhando de longe...olhando onde Jesus tinha sido colocado’ e chegaram até ir com José ‘para ver o túmulo e como o corpo de Jesus tinha sido colocado’.

As mulheres são testemunhas qualificadas da ressurreição, pois a sensibilidade feminina faz com que elas ficam ‘sentadas, em frente ao sepulcro’ e também ‘vão pra casa preparar perfumes e bálsamos para ungir o corpo de Jesus’; fizeram a experiência do anjo da ressurreição e assim como Maria acolhera o anúncio da encarnação, as mulheres receberam a boa notícia da ressurreição: ‘Ele não está aqui. Ressuscitou, como havia dito’; foram elas as primeiras a ver Jesus ressuscitado e escutaram a voz dele que dizia: ‘Não tenham medo. Vão anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galiléia. Lá eles me verão’; embora com medo, ‘correram com muita alegria para dar a notícia aos discípulos’ e fizeram o primeiro anúncio da Ressurreição: ‘Também as outras mulheres que estavam com elas contaram essas coisas aos apóstolos’. Madalena disse: ‘Eu vi o Senhor’.

Portanto, neste dia dedicado às mulheres, memória de outras mulheres, venho suplicar ao Senhor que conceda alegria e boas notícias a todas as mulheres: as Indígenas, as Negras, as Marginalizadas, as doentes, as deseperançosas, as lideres, as catequistas, as coordenadoras, as secretárias, as domésticas, as profissionais liberais, as freiras, as mães dos bispos, dos padres, dos diáconos, das religiosas e dos religiosos, dos seminaristas e das vocacionadas, e todas as mães. Que Maria, a mãe de Deus, cuide de nós como cuidou de Jesus Cristo. Amém!

Dom Sebastião Lima Duarte, bispo de Viana - MA