Palavra do Pastor
  • A+
  • a-

Assembleia do CIMI

Continua a Assembleia Regional do Conselho Indigenista Missionário no Maranhão

 

O Conselho Indigenista Missionário do Maranhão iniciou ontem, 21, sua 33ª Assembleia Regional, com uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa, para tratar sobre os processos de demarcação das terras indígenas no Estado.

Este ano a Assembleia tem como tema “40 anos celebrando a presença solidária e comprometida no sonho da Terra livre, das águas puras e das florestas sagradas junto aos povos indígenas”. O evento esta dando continuidade na Casa de encontro das Irmãs Capuchinhas, no Olho D’água na capital São Luis.

Na manhã de hoje, 22, teve a abertura das atividades do dia com uma luminosa mística, a cantoria indígena dos povos Gaviões e krikati. Em seguida deu-se continuidade das atividades do dia com a temática “A conjuntura indígena voltada para a linha dos direitos, PEC 215, Processo de demarcação de terras indígenas e movimentos”.

No decorrer do dia vai acontecer à socialização das lutas e das resistências das Pastorais e movimentos e as definições de estratégias de enfrentamento.

Quem está desenvolvendo o tema é o assessor jurídico do Cimi nacional, Adelar Cupsinski. Também se encontra presente no evento, Egon Heck, secretário nacional do Cimi, dom Sebastião Lima Duarte, bispo referencial das Pastorais Sociais e da questão indígena no Regional e a equipe da coordenação Regional, Rozana de Jesus Diniz, irmã Ana Amélia de Miranda e Rosemeire Diniz. Além de representantes dos diversos povos indígenas do Maranhão como os Krikati, Gavião, krenjê, Awá-Guajá, Guajajara, do Pindaré, representantes da Pastoral Indígena da diocese de Grajaú, irmã Suely, da diocese de Imperatriz, entre muitos outros.

A 33ª Assembleia do Conselho Indigenista Missionário do Maranhão vai até quinta-feira, 24, onde se encerrará com a celebração dos 40 anos do Cimi no Brasil