Sabor da Palavra
  • A+
  • a-

O julgamento final


Hoje, ao meditar um texto bíblico que já havia refletido por várias vezes, ele mexeu demasiadamente comigo. Todo tanto que você pensar que ele me incomodou foi muito mais.
Trata-se do Julgamento final, onde todas as nações da terra serão reunidas diante de Jesus, que estará acompanhado de todos os anjos e Ele separará do lado direito Dele os escolhidos, dizendo:

“Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo!"(São Mateus 25,34).

Jesus diz o motivo da recompensa do Reino do Céu e porque está colocando os benditos de seu pai à sua direita: "Pois eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede, e me destes de beber; eu era forasteiro, e me recebestes em casa; estava nu e me vestistes; doente, e cuidastes de mim; na prisão, e fostes visitar-me’."

Daí Jesus explica: "‘Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes! "

Por isso, a lei se resume no primeiro mandamento. Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.

Quem é o meu próximo? Aquele que tenho conhecimento de que está necessitando de alguma coisa e que me coloco no lugar dele. Se estivesse no lugar dele queria que fizesse para mim. Se faço, é amor. E Jesus diz que ao dar a comida ou a roupa, ao fazer a visita, ao amparar quem necessitava, foi a Ele próprio que fez.Percebi, meus irmãos, que raramente faço isso. Preocupei-me com a evangelização, mas fui deixando de lado essas práticas diárias necessárias, como visitas, atenção ao forasteiro, àqueles que chegam pedindo. Agora, me dei conta de que não estou agindo da forma correta.
Jesus separará do lado esquerdo Dele os que fizeram exatamente o contrário e os mandará para o fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos, dizendo: "Pois eu estava com fome, e não me destes de comer; com sede, e não me destes de beber eu era forasteiro, e não me recebestes em casa; nu, e não me vestistes; doente e na prisão, e não fostes visitar-me". 

(São Lucas 25, 42-43). E ainda fala: "‘Em verdade, vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequenos, foi a mim que o deixastes de fazer!"

E Jesus finaliza dizendo... “que os justos irão para a vida eterna e os injustos para o castigo eterno” (São Mateus 25,46).

Fazer para o outro como se tivesse fazendo para mim  e fazer por amor a Jesus.
Pois com o mesmo julgamento com que julgardes os outros sereis julgados; e a mesma medida que usardes para os outros servirá para vós”. (São Mateus 7,2)
Penso que é como dissemos anteriormente, se faço para o outro como se fizesse para mim e por amor a Deus. Isso é a medida certa.
Ora, o julgamento consiste nisto: a luz veio ao mundo, mas as pessoas amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. (São João 3,19).
Em verdade, em verdade, vos digo: quem escuta a minha palavra e crê naquele que me enviou possui a vida eterna e não vai a julgamento, mas passou da morte para a vida. (São João 5,24)
Quem escuta a palavra de Deus e a coloca em prática é porque crê em Deus.
Resta apenas a terrível expectativa do julgamento e o ardor de um fogo para devorar os rebeldes. (Hebreus 10,27)
Portanto, somos do entendimento de que "àqueles que, perseverando na prática do bem, buscam a glória, a honra e a incorruptibilidade, Deus dará a vida eterna".(Rm 2,7)

No céu não dá para a gente chegar cheio de defeitos. O Senhor nos convida, meus irmãos à santidade. Que ele nos dê essa graça, de amá-lo sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

RCC - Augusta Moreira dos Santos
Grupo de Oração São Francisco de Assis