Sabor da Palavra
  • A+
  • a-

O profeta Jonas resistiu à missão. Eu também! E você?

Olá! Hoje, meditando sobre a palavra do profeta Jonas, me identifiquei muitíssimo com ele e nunca havia parado para pensar que por anos e anos havia resistido à missão que Deus havia designado para mim, desde antes do meu nascimento.

“Levanta-te! Vai a Nínive, aquela grande cidade, e denuncia suas injustiças, que chegaram à minha presença”.(Jonas 1,2).

Jonas partiu, então, com intenção de escapar da presença do SENHOR, fugindo para Társis. Desceu até Jope, onde encontrou um navio que estava de partida para lá. Pagou a passagem e embarcou nesta viagem para tentar escapar da presença do SENHOR.(Jonas 1,3)
Jonas, como profeta, já sabia o que o Senhor queria com ele, mas não estava disposto a carregar a cruz. Jonas não estava disposto a ser ridicularizado diante da população, ser tido como mentiroso e fugiu, indo para outro caminho, para outro lugar.
Vejo, meus irmãos que assim o fiz, quantas vezes Deus me chamou, para cumprir a sua vontade e, fui fugindo...
Mas o SENHOR mandou sobre o mar um vento forte que provocou grande agitação com ondas violentas que, parecia, iam arrebentar o navio.(Jonas 1,4).
Pois, é, quando digo que me identifiquei com Jonas, não estou brincando. O Senhor mandou um vento forte sobre o mar, para que Jonas reconhecesse que ele tinha uma missão a cumprir e que não podia desviar dela.

Agora, passa um filme na minha cabeça. Sempre soube que o Senhor queria "algo mais" comigo, só que não estava disposta a largar a minha vida, para servi-lo, num total desapego. Então, veio, não um vento forte, mas três acidentes de carro, uma pancreatite aguda, com várias internações, sete dias internada sendo que nem água podia beber, uma cirurgia no útero devido aos miomas existentes, a perda do emprego, do carro, de todo o dinheiro no banco, a perda da casa e toda espécie de sofrimento, ficando ainda com dívidas existentes, na mais completa miséria.

Quando reconheci que errei e parei de reclamar e voltei a rezar, a louvar o Senhor, pelo sofrimento, pelas dificuldades, as coisas melhoraram. E hoje, pela misericórdia do Senhor, vou servi-lo, saindo do meu estado, deixando minha mãe velhinha e toda a minha família e vou fazer a vontade de Deus.

Posso até dizer, que como aqueles marinheiros estavam sofrendo, minha família também, toda desestruturada, cheia de problemas. E digo a você, os ânimos estão acalmando e dia 16 saio para uma terra distante, sem saber ao certo, o que me é reservado, mas tendo uma única certeza irei fazer a vontade de Deus.

Jonas respondeu: “Sou hebreu. Adoro o SENHOR, o Deus do céu e da terra, aquele que fez o mar e a terra firme”.Os homens ficaram muito assustados e disseram: “Mas por que fizeste isso?” Eles entenderam que Jonas estava fugindo da presença do SENHOR, pois ele próprio lhes havia contado tudo.(Jonas 1,9-10).
JONAS fugiu da presença do Senhor. Eu fugi da presença do Senhor e você já fugiu da presença Dele?
Pegaram Jonas e o atiraram fora do navio. Imediatamente o mar se acalmou.(Jonas 1,5)
Minha família, ao contrário daqueles marinheiros, sequer entenderam que o turbilhão que estava acontecendo na nossa casa era por causa disso.
Mas eu entendi muito bem. Aliás, um colega chegou a comentar comigo que as coisas estavam assim na minha casa era porque não estava fazendo a vontade de Deus.
Você pode até achar estranho e dizer, mas Deus não faria isso, trazer sofrimentos aos seus para que você dê uma resposta positiva a Ele?
Não cabe a nós questionarmos. Se Ele fez na vida de Jonas, Se está escrito na bíblia, essa situação é porque pode ocorrer. E acredito na palavra de Deus. Podem até dizer que é uma fábula, podem dizer o que for, mas se Deus permitiu que esse exemplo de Jonas estivesse escrito era para servir de exemplo para as pessoas.
O SENHOR providenciou um peixe bem grande para engolir Jonas, que ficou na barriga desse peixe por três dias e três noites.(Jonas 2,1).
Jonas ficou naquela situação de sofrimento por três dias e três noites. Pois digo a vocês, só de uma vez de internamento fiquei 07 dias e07 noites, sem contar outras tantas, além de ter sido desenganada pelos médicos.

E mesmo assim custei a acreditar que aquelas coisas estavam ocorrendo comigo, porque Deus queria que eu me desapegasse de tudo que estava me aprisionando para servi-lo.
Só depois de muito sofrimento, pude perceber que Deus me falava o tempo inteiro e que eu coloquei um tampão no ouvido para não escutá-lo. Deus queria que enxergasse o óbvio e me fiz de cega por anos.
Então, meus irmãos precisamos acordar.
De dentro da barriga do peixe, Jonas dirigiu ao SENHOR uma oração, louvando e reconhecendo que é do Senhor que vem a salvação e assim Deus mandou que o peixe vomitasse Jonas em terra firme.
Eu também reconheci que Deus é tudo na minha vida. E quando reconheci aquela situação de miséria passou. O Senhor me concedeu a graça de pagar as dívidas, de terminar a faculdade de Direito, pós graduação e diversas viagens para participar de encontros de cura e libertação e de adoração ao santíssimo.
Tudo mudou na minha vida e fui capaz de vencer os meus medos.
Pela segunda vez o Senhor mandou que Jonas fosse a Nínive e fizesse o anúncio que Ele mandava. Assim, Jonas, dessa vez cumpriu o que o Senhor determinou. Diz a palavra que ele caminhou um dia inteiro comunicando ao povo que a Cidade seria destruída dentro de 40 dias.

O povo acreditou e até mesmo o rei, tanto que ele decretou que: "Pessoas e animais deverão se vestir de saco, clamando a Deus com força. Cada um deverá voltar atrás de seus caminhos perversos e deixar de praticar todo tipo de opressão".(Jonas 3,8)

O povo acreditou na palavra de Deus, arrependeu pediu perdão e mudou de vida. É isso, me arrependi muito de não ter feito a vontade do pai. Me arrependi muito do meu egoísmo. Me arrependi muito de falar que servia ao Senhor, quando na verdade por muitos anos estava me servindo de Deus.

Deus viu o que eles fizeram e como voltaram atrás de seus caminhos perversos. Compadecido, desistiu do mal que tinha ameaçado. Nada fez.(Jonas 3,10)

Deus teve compaixão do povo. Deus também teve compaixão de mim e me deu uma segunda chance.

Jonas ficou emburrado, pois foi tido como mentiroso, pois Deus teve compaixão do povo e desistiu de destruir a cidade. Então, ele foi abrigar debaixo de uma amamoneira que fez sombra para ele e ficou muito satisfeito. Só que Deus fez com que ela secasse e mandou um sol muito quente que castigava a cabeça de Jonas. Ele mais uma vez pediu a morte e o Senhor Deus disse para ele que se ele estava com pena de uma amamoneira, porque então não deveria ter pena de uma Cidade inteira?

Sempre questionava Deus, deixava o meu intelecto falar. Agora, vou viajar pela fé. Chega de emburrar com Deus. Chega de indagar, de questionar. A faculdade que fiz, não exercerei a advocacia, a pós graduação, também não. Do direito humano passarei para a Justiça divina. O julgamento final. Tudo que me interessa agora é preparar para a segunda vinda de Cristo e ser uma ponte para levar as pessoas até Jesus.
Pois eu não terei pena de Nínive, esta enorme cidade onde moram mais de cento e vinte mil pessoas que não sabem distinguir entre a direita e a esquerda, além de tantos animais?”

Jonas, finalmente, ficou sem argumentos com o nosso Deus, que é sábio. Então, digo para vocês, chega um momento na vida, que temos que render aos encantos do Senhor. Sei que aqui em casa, alguns estão me achando louca. Mas sei que as coisas do espírito contradiz ao da matéria, então tenho que me conformar e seguir adinte. Não dá mais para voltar o barco está em alto mar, como diz padre Jonas Abib.
Que Deus nos conceda a graça de entender a sua vontade para a nossa vida e de cumprir o seu projeto. Que tudo ocorra na mais perfeita ordem.
Amo a bíblia, amo Deus de uma forma maravilhosa. O meu coração arde de amor pelo Senhor e quero fazer tudo aquilo que Deus planejou para mim. Quero cumprir tudo. E agradeço muito ao Senhor, por ter sido escolhida.

Glória a Deus!

Augusta Moreira dos Santos - RCC

Grupo de Oração São Francisco de Assis-Vazante-MG