Palavra do Pastor
  • A+
  • a-

Celebração Jubilar Setor IV em Monção

Celebração do Jubileu de ouro da Diocese de Viana - SETOR IV

Paróquias:Vitória do mearim.Nossa senhora de Nazaré

Igarapé do meio: São João Batista _

Monção:São Francisco Xavier. Onde foi Celebrado - Dom Sebastião Lima Duarte

Comentário Inicial:

Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo...

Irmãos e irmãs, unidos e reunidos, celebremos na fé e na alegria, esta Eucaristia, em ação de graças, pelo jubileu de ouro da Nossa Diocese. Agradecemos pelas maravilhas que Deus realizou durante esses 50 anos de vida, em nossa Igreja Diocesana e através dela. Agradecemos por todos os Bispos, Padres, Diáconos, Religiosos e leigos, que através do seu testemunho e missão, anunciaram Jesus Cristo, sendo sinal e instrumento do Reino de Deus.

Celebrando esta festa, Te pedimos Senhor, que renove em nossos corações o ardor missionário e ajuda-nos a serem anunciadores fiéis do Vosso Filho. Faz-nos uma Igreja formadora de Cristãos que vivam sua vocação batismal até as ultimas consequências. Uma Igreja centrada no Mistério Eucarístico. Junto com a intercessão poderosa de Tua Mãe Santíssima, faça de nós uma Igreja de comunhão e missão. Abrindo o nosso coração para acolher a graça de Deus, participemos com toda a fé desta Santa Eucaristia.

 Com alegria e esperança iniciemos, com o canto.

  1. Agora é tempo de ser igreja, Caminhar juntos, participar (2x)
    1-Somos povo escolhido,E na fronte assinalados.Com o nome do senhor .Que caminha ao nosso lado.
    2-Somos povo em missão.Já é tempo de partir
    É o senhor quem nos envia.Em seu nome a servir.
    3-Somos povo- esperança.Vamos juntos planejar.Ser igreja a serviço.E na fé testemunhar.
    4-Somos povo a caminho.Construindo em mutirão.Nova terra, novo reino.Ha fraterna comunhão.

Procissão de entrada:

Comentário antes da entrada da Imagem de Nossa Senhora:

A Imagem será trazida : por um jovem, simbolizando o profeta Isaías

O profeta Isaías escreveu sobre a natureza humana de Cristo, e dele nós aprendemos, que Cristo deveria nascer de uma forma milagrosa, de uma Virgem:“Pois por isso o mesmo Senhor vos dará este sinal: Uma Virgem conceberá e dará à luz um Filho e o Seu nome será Emanuel,”  (Isa.7:14)

.E uma jovem simbolizando o Anjo Gabriel que confirma a profecia de Isaias.

Ó Virgem Maria, Mãe da Ternura, Rainha do acolhimento e da comunicação, Senhora do sim ao chamamento do Pai; Tu, espelho fiel do rosto da ternura de Deus: Alcança-nos a graça de sermos Igreja do acolhimento, Casa aberta para todos. Ajuda-nos a ser como tu: Acolhedores e testemunhas da ternura de Deus, Atentos às necessidades dos irmãos; Generosos no sim à vocação a que o Senhor nos chama. Acompanha nossas famílias e guia a nossa Igreja no seu caminho pastoral!

Acolhemos  Maria como nossa Mãe.

           Entronização da Imagem da Imaculada durante o canto...

  1. Olhar de Deus ( Canto de Dom Sebastião)                                                                                    
  2. Quem olha pra Maria com o olhar de Deus . dá à nossa senhora o lugar que Deus lhe deu                                                                                                                                        

1-Do  tronco de Jessé deve surgir o Messias ,Deus manda Gabriel,convencer a Virgem Maria.                                                         

2-Da filha de Sião deve sair o Redentor. Maria disse a sua vontade aceito sim Senhor.      

 3-Se da primeira mulher o pecado campeou. De Maria a nova Eva nos veio o Salvador

4-Se Isabel chamou Maria, de mãe do meu Senhor. Quem somos nós para negar o Deus realizou.

5-Se em cana da Galiléia Maria intercedeu.Jesus a sua Mãe prontamente obedeceu.

6-Se Jesus disse João eis ai a tua Mãe. Maria a Mãe de Deus é a minha Mãe também.

7- Se Maria os apóstolos com afeto contentou, toda a Igreja de seu Filho abençoou.

8-Se Deus todo poderoso nela fez suas maravilhas. Cabe a todas as gerações bendizer a virgem Maria.

         Relato das 3 Paróquias: Durante o relato,entrou o estandarte da mesma.

-Paróquia de MONÇÃO:

- Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré; Vitória do Mearim.

Documento da criação da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré

O arraial da Vitória, surgido em fins do sec.XVIII, Sede da vestuta freguesia de Nossa Senhora de Nazaré da Ribeira do Mearim, que remonta ao inicio daquela centúria, e do distrito do julgado mearim, conquanto ainda fizesse  parte do município de São Luis, a Capital do Estado, era ,até o inicio do séc.XIX, o único núcleo populacional significativo, em terras banhadas pelo rio Mearim, como fruto daquela primeira onda povoadora. Localizado no curso inferior deste rio e assentado sobre uma colina, foi portanto,o primeiro lugar onde alcançou êxito o projeto colonial de fixar um grande povoado no Mearim.

Mas até chegar a esse ponto muito tempo e muita energia humana se haviam dispendido.  E  a primeira personalidade fundamental nesse processo foi um homem chamado José da Cunha D’Eça.

 A Freguesia:

Em 1722, segundo Bernardo pereira de Berredo  e Castro, em seus famosos anais históricos do Estado do Maranhão, escritos em 1723 e publicados em 1749, as margens do mearim, por ele considerado o príncipe soberano de todos os rios da Capitania do Maranhão, estavam povoados somente a cerca de dez léguas de sua boca e com menos de setenta moradores. A região já sediara seis engenhos de açúcar de grosso rendimento e ainda conservava três naquela época, embora de pouca utilidade, por falta de fabrica, desamparados por todos os mais dos senhores deles por sobrado receio de gentio de corso.

Na região apesar da existência precedente da Igreja de São Lourenço do Convento de Nsa. Sra. Das Merces, erigida a margem daquele rio há anos( nela o Bispo do Maranhão. Dom Frei Manoel da Cruz, crismaria 344 pessoas em 1740), foi somente em 1723 que a metrópole admitiu ao real padroado uma Igreja do Mearim, construída recentemente.

Antes Dom Frei José Delgarte, quarto Bispo do Maranhão, comunicaria a El-Rei.

Por isso El-Rei mandara admiti La  ao seu real padroado, e confirmava o referido padre como seu prelado. Nascia assim,com  uma  nova Igreja, a Freguesia da Ribeira do mearim, fator de aglutinação populacional naquela época de intenso fervor católico, um templo e o respctivo Vigario, que até então não existia, para cuidar das quinhentas almas privadas de sacramentos que viviam dispersas por toda a região que margeia o baixo curso do referido rio.

Edificada a Igreja e dotada de um curral não muito distante, em lugar desde logo conhecido como curral da Igreja, tudo em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, em 1734, já recebia a visita do padre João Rodrigues Covette, no período de 8 a 16 de novembro, em que foram ouvidas aproximadamente, trinta pessoas,previamente notificadas, num procedimento inquisitório referente as praticas do comcubinato, ‘amancebamento” e ilícitas amizade de moradores do mearim.A primeira testemunha a ser ouvida foi o Vigário padre Joseph de Morais Pimenta.Ao final os culpados foram punidos com admoestações, prometendo emenda, como filhos da igreja.Em 1752 de 14 a 17 de Janeiro, foi recebida a visita do Bispo D. Francisco de Santiago, ocasião em que era ali crismadas 355 pessoas.

No Maranhão, existia uma só comarca e à Ribeira do Mearim correspondia a freguesia  de Nossa Senhora de Nazaré. Portanto teoricamente, cabia lhe juiz vintenário. Essa era a regra. Mas por mercê régia e como característica da mixórdia que era administração colonial, uma freguesia poderia, sim ser erigida em julgado e , portanto, ter juiz ordinário, ainda que não fosse vila.

A MUDANÇA DO SITIO: Prosseguia a vida tranquila  daqueles colonos católicos na ultima quadra do século VXIII, uma pequena parte dos quais agora reunida em um só lugar, sede de  freguesia e de julgado, com sua Igreja  Matriz e seu juiz ordinário para decidir sobre pequenos litígios e dar providencias de ordem administrativa, e ter se ia formando ali o núcleo populacional definitivo cujo nome confundia se com o próprio da região Ribeira do Mearim ou simplesmente  mearim.

Passando de uma geração para a seguinte, chegou até os nossos dias o relato oral de que, por causa  dessa impropriedade do terreno, foi o projeto abandonado ali onde se iniciara e decidiram se os moradores a procurar um local para uma Igreja e o povoado que naturalmente, em torno dela que novamente surgiria. A propósito Cezar Marques., no dicionário histórico-geográfico da Província do Maranhão (1870), precisamente no verbete Mearim (vila), registrou ter encontrado na vila Vitória, quando nela esteve em 1865 a 1866., a seguinte narrativa oral foi feita pelos mais idosos moradores .

A primeira vila foi assentada no lugar chamado sitio velho, entre o curral da Igreja para a parte de baixo e o bom fim pra cima, á margem esquerda do rio.Ali existiu a primeira igreja, e foi a sede da freguesia.

Não se sabe exatamente quando começou e quando terminou a construção da atual Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré, toda via já se pode firmar categoricamente, que foi construída de 1776 em diante, e sabendo se que em 1827, quando sofreu um incêndio, seu teto ainda era de palha, conclui se que até então  era uma construção precária, vale dizer inacabada. Pode se afirmar também que 1776 em diante foi que se consolidou o arraiaVitoria. Povoado que depois seria  a cidade de Vitória do Mearim, pois sua manutenção e seu crescimento dependiam da Igreja e pároco por perto, o imprescindível socorro espiritual com que os moradores podiam contar.

-Paróquia São João Batista:Igarapé do meio.

No dia 25 de junho de 1994, chegaram os primeiros moradores. Igarapé do meio inicialmente  era chamado de Roça grande, depois Vila São João e finalmente Igarapé do Meio..

Antes de ser Paróquia Igarapé do meio, pertencia a paróquia  N.S. de Nazaré de Vitória do Mearim. Inicialmente foi atendida pelo Pe. Chagas e depois por Pe. Sérgio, com a ajuda do Pe. Franco. Pe. Sérgio atendeu como comunidade por aproximadamente 40 anos.

Depois de longa caminhada, no dia 14 de outubro de 1999, em Igarapé do Meio foi criada a paróquia São João Batista pelo Bispo Dom Xavier Gill es.Tendo como 1º pároco Pe. Firmino, que permaneceu até 31 de dezembro de 2006.

O Segundo pároco Pe. Delcimar assumiu a Paróquia no dia 01 de janeiro de 2007 e ficou até dia 31 de julho de 2011, quando teve que sair para assumir a reitoria do Seminário em São Luis.

No período de 01 de agosto de 2011 a 29 de novembro do mesmo ano foi administrada pelo Pe. Ferreira, neste mesmo período dia 13 de gosto de 2011, foi agarciada com a ordenação diaconal , do Diacono José Carlos.

No dia 30 de novembro de 2011, tomou posse o Pe. Domingos, que ficou até 03 de Janeiro de 2012. Em seguida o diácono José Carlos foi designado administrador por Dom Sebastião e ficou até o dia 29 de abril de 2012, quando tomou posse o Pe. Jean, atual pároco.

  1. Ato penitencial_ Canto
  2. 1-Em cada caminho que ponho os meus pés encontro a Ti naqueles que passam estendendo a mão.Chamando tu estás eu não quis ouvir. Fechado em mim, faltou-me coragem pra exercer a missão.

Senhor eu te peço perdão pelas vezes que não acreditei que juntos podemos fazer deste mundo um mundo de irmãos Senhor eu te peço perdão.Pois o medo não me deixa agir faze de mim um instrumento um profeta que fala de Ti .

2. Ouvindo a Palavra, eu pude entender que estando sozinho, sem o outro não estou em Ti. O outro.A parece mendigando o pão querendo a partilha e não sendo profeta também disse não.

  1. Durante o canto penitencial,entraram algumas pessoas, com cruz e em cada cruz estava escrito pedido de perdão, passaram pela assembleia e chegaram até a frente do altar.
  • Glória

Glória 5x  . A Deus Pai Criador. Gloria a Jesus Salvador. Gloria ao Espírito Santo, Gloria a Trindade de amor.

 Gloria A Deus Pai que criou o céu a terra e o mar. E o que neles habita, gloria ,aleluia  amém (2x) .Glória a Jesus Salvador que com o seu sangue na cruz remiu a humanidade. Gloria  aleluia  amém.(2x).Gloria a Deus de amor, que a  Santa Igreja conduz,une e santifica. Gloria aleluia  amém.

  1. Durante o canto , algumas pessoas da paróquia de Vitória, entraram dançando com bandeiras.(BRASIL, MARANHÃO,DIOCESE...)
  1. Entronização da Bíblia( 1 pessoa entrou dançando)
  • Canto:Fazei ressoar

Fazei ressoar  * a Palavra de Deus em todo o lugar! (bis)

- na cultura, na história, vamos expressar, levando a Palavra de Deus em todo o lugar, vamos lá!

- Na cultura popular, vamos catequizar, celebrando fé e vida em todo lugar. Vamos lá!

- Com o negro e com o índio, vamos louvar, e com a comunidade vamos festejar. Vamos lá!

  • Canto de aclamação

1-Maria, guardavas tudo,com grande atenção.palavras e gestos de Cristo no teu coração.

Ensina, Maria,tua gente a escutar.Desperta teus filho, que o Pai quer falar.

2-Maria, falavas pouco,deixavas falar Aprende-se mais ouvindo,aprende-se a amar.

  1. Ofertório_ Comentário: Ser maranhense é ser Nordestino, nortista e ao mesmo tempo nenhum dos dois, é ser Brasileiro em sua máxima expressão e inteiramente tropical, colorido,hospitaleiro,musical e festeiro. Ser maranhense é ter muita Fé em Deus, é ter orgulho das nossas belezas naturais como nossa falna e flora e moreno como nossso mar e nossos rios.

Temos orgulho de ofertar nossas riquezas naturais da Baixada Maranhense.

  • O coco, o leite, azeite, cofo, sabão,farinha e carvão, que vem sendo ofertado pela Paróquia São João Batista-Igarapé do meio.
  • Peixe pela Paróquia São Francisco Xavier. Monção
  • Arroz pela Paróquia Nossa Senhora de Nazaré- Vitória do Mearim.
  • Canto: do ofertório

As mesmas mãos que plantaram a semente aqui estão.O mesmo pão que a mulher preparou,aqui esta.O vinho novo que a uva sangrou jorrará no nosso altar.

A liberdade haverá, a igualdade haverá;e nessa festa, onde a gente é irmão,o Deus da vida se faz comunhão(bis)

Na flor do altar o sonho da paz mundial. A luz acesa é a fé que palpita hoje em nós. Do livro aberto o amor se derrama total no nosso altar.

  1. Oração da Comunidade.

Res: Obrigado Senhor

1-Damos te graças ó Pai, pela vida desta nossa Diocese de Viana, onde Bispos e tantos padres, Diaconos, exerceram e exercem seus Ministérios, seminaristas desenvolvem seus trabalhos pastorais e por todas as ordenações diaconais e presbiterais. Rezemos.

2-Damos te graças ó Pai, pelos Religiosos e religiosas, que aqui te servem em adoração e missão que prefiguram para os fiéis teu rosto misericordioso.Rezemos

3-Damos te graças ó Pai, por todas as pessoas engajadas em pastorais e movimentos que a tantos resgatou para a vida em Cristo  e acompanham nossos irmãos com carinho e dedicação. Rezemos.

4-Damos te graças ó Pai,por todos os catequistas que preparam pais e padrinhos para o batizado, as crianças para receberem a primeira comunhão, os jovens para a crisma e os noivos para o sacramento do matrimonio. Rezemos.

5-Damos te graças ó Pai,por todas as crianças e jovens que descobriram seus dons na catequese e grupos de jovens e testemunham Jesus Cristo, tornando visível a obra salvifica de Deus através da nossa Diocese . Rezemos

6-Damos te graças ó Pai por todos aqueles que tanto fizeram por esta Diocese, doando parte de sua vida em favor dos irmãos, como nossos saudosos Bispos e padres e outros tantos que aqui passaram. Rezemos.-

7-Damos te graças ó Pai,por tudo quanto já celebrou essa nossa Diocese.Pela vida, dedicação e amizade do nosso Bispo dom Sebastião Lima Duarte.Rezemos

  • Santo,Santo,Santo,Senhor.Deus do Universo.O céu e a terra vos proclamam glorioso.Hosana, Hosana nas alturas.Bendito o que vem em nome do Senhor.Hosana, Hosana nas alturas.
  • Canto de comunhão.1

Ao recebermos Senhor, tua presença sagrada. pra confirmar teu amor, faz de nós sua morada. surge um sincero louvor, brota a semente plantada, faz-nos seguir teu caminho, sempre trilhar tua estrada.

Desamarrem as sandálias e descansem, este chão é terra santa, irmãos meus. venham orem, comam, cantem, venham todos... e renovem a esperança no senhor.(bis)

O filho de Deus com o pai, e o Espírito Santo. Nesta Trindade um só ser, que pede à nós sermos santos. dai-nos Jesus teu poder de se doar sem medida, deixa que compreendamos que este é o sentido da vida./Ao virmos te receber, nós te pedimos , ó cristo, faze vibrar nosso ser, indo ao encontro ao Pai santo. sem descuidar dos irmãos, mil faces da tua face, faze que o coração sinta, a força da caridade.

  • Comunhão 2                                                                                      
  1. Na mesa sagrada se faz unidade no pão que alimenta, que é o pão do Senhor, formamos família na fraternidade: não há diferença de raça ou de cor.                                                                       Refr.: Importa viver, Senhor, unidos no amor, Na participação, vivendo em comunhão.
    2. Enquanto na terra o pão for partido, o homem nutrido se transformará, /Vivendo a esperança num mundo melhor: com Cristo lutando, o amor vencerá.
    3. Chegar junto à mesa é comprometer-se, é a Deus converter-se com sinceridade. O grito dos fracos devemos ouvir e em nome de Cristo amar e servir!
    4. Se participamos da Eucaristia, é grande a alegria que Deus oferece, porém não podemos deixar esquecida a dor, nesta vida, que o pobre padece.
    5. Assim, comungando da única Vida, a morte vencida será nossa sorte. Se unidos buscarmos libertação, teremos com Cristo a ressurreição.    
  1. Mensagem  de Graças:

Senhor..neste ano jubilar no qual celebramos 50 anos de história, de caminhada e Evangelização, pelo te agradecer pelo progresso que conseguimos obter, pelos desafios que conseguimos suplantar e por tantos irmãos que conseguimos elevar.

Senhor...Sabemos que o muito conseguido por nós é um nada diante de tua GRANDEZA. Mas foi o que conseguimos.foi o que pudemos alcançar. Lamentamos as nossas falhas, as nossas muitas omissões.te pedimos..vela por nós..ser benevolente ..ser providente.

Senhor...Mesmo com este tempo, a nossa fé ainda não é forte, ainda não é capaz de fazer acontecer as transformações que queremos.Aumenta portanto a nossa fé, daí nos coragem, daí nos força, e daí nos fidelidade ao teu projeto de amor.

Senhor...Te pedimos instantemente.ajudai nos nesta nova etapa de caminhada. Naõ nos deixe a sós.fazei que as falhas de ontem seja no hoje e no amanhã sinal de crescimento, de maturidade e de superação, despertando em cada um de nós a esperança para aprendermos a viver mutuamente a comunhão e a solidariedade.

Senhor... Não poderíamos deixar de apresentar nossos fracassos e te pedir perdão..

-Por todas as injustiças, males e injurias, praticados pelos nossos Bispos e Sacerdotes. Nós te pedimos perdão ó Senhor...

-Pelos escândalos na tua Igreja que não fomos capazes de evitar,. E pelos leigos que não conseguimos ajudar.. Nós te pedimos perdão ó Senhor...

-Por todos os nossos irmãos que tombaram pelo caminho na luta pela dignidade e pela vida... .. Nós te pedimos perdão ó Senhor...

-Pelo sangue de nossos mártires que fecundando a terra nos despertam para o sentido da luta e para o cultivo da semente lançada... Nós te pedimos perdão ó Senhor...

-pela não valorização dos leigos(as) das nossas Religiosas... Nós te pedimos perdão ó Senhor...

-Pelos nossos irmão negros, índios sem terra que não soubemos ou não quisemos ajudar.. Nós te pedimos perdão ó Senhor...

-Pelas nossas quebradeiras de coco e pelos nossos pescadores, pelas vezes que clamaram por socorro  e fingimos não escutar. Nós te pedimos perdão ó Senhor...

-Pelos nossos babaçuais, pelos nossos campos e florestas que não soubemos cuidar e conservar.. Nós te pedimos perdão ó Senhor...

-Pelos nossos rios, lagos e riachos que na cumplicidade ajudamos a poluir.. Nós te pedimos perdão ó Senhor...

- Enfim pelos nossos medos ,pela nossa covardia, pela nossa auto suficiência, pelo nosso orgulho, pela nossa falta de transparência, pela nossa falta de atitude, pela nossa indiscrição, e sobretudo, pela nossa falta de testemunho... .. Nós te pedimos perdão ó Senhor...

Nos sentidos mais leves pela confissão de nossas culpas, vamos seguir adiante.. Não vamos baixar a cabeça! Embora tenhamos muito mais o que fazer do que comemorar, nos orgulhamos desse nosso passado de luta e resistência. Se chegamos até aqui não chegamos a toa, chegamos por meio da Tua GRAÇA. Ainda falta muito para chegarmos lá. Mas, enquanto houver vida estaremos em batalha constantes, para fazer acontecer o Reino já aqui no meio de nós. Como Tu mesmo pedistes. Esta é nossa sina e esta será a nossa meta. Assim seja para sempre amém.

Final 1                                                                                                     

Maria, mãe dos caminhantes,Ensina-nos a caminhar.Nós somos todos viajantes,Mas não é fácil sempre andar.                                                                                       

   1. Fizeste longa caminhada.Para servir a Isabel, Sabendo-te de Deus.Morada,Após teu sim a Gabriel.

   2. Depois de dura caminhada.Para a cidade de Belém, Não encontraste lá pousada.Mandaram-te passar além

 3. Com fé fizeste a caminhada.Levando ao templo teu Jesus,Mas lá ouviste da espada.Da longa estrada para a cruz

 4. De medo foi a caminhada.Que para longe te levou, Para escapar à vil cilada.Que um rei atroz preparou

Final 2                                                             

Imaculada Maria de Deus, Coração pobre, acolhendo Jesus!Imaculada Maria do povo,
Mãe dos aflitos que estão junto à cruz!

1-Um coração que era Sim para a vida, um coração que era Sim para o irmão,
um coração que era Sim para Deus, Reino de Deus renovando este chão!
2-Olhos abertos pra sede do povo, passo bem firme que o medo desterra,
mãos estendidas que os tronos renegam. Reino de Deus que renova esta terra!
3-Faça-se, ó Pia, vossa plena vontade: que os nossos passos se tornem memória
do Amor fiel que Maria gerou: Reino de Deus atuando na história.