Notícias da Diocese › 15/08/2019

VII THEOTOKOS – Lema: MARIA, missionária e mãe dos filhos de DEUS.

Theotokos 2019

Lema: “Maria, missionária e mãe dos filhos de Deus”.

O Papa Francisco anunciou no dia 30 de novembro de 2018 a convocação para o Mês Extraordinário Missionário, que ocorrerá em outubro de 2019 tendo como tema: “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”. Tema que vem de encontro com o projeto de evangelização da Legião de Maria, cujo chamamento de Deus envia homens e mulheres, ao encontro das famílias na cidade em que ocorre. O Documento de Aparecida nos exorta, na medida de nosso caminhar missionário, não reter o anúncio a momentos, projetos e convocações missionárias, mas a testemunhar a Pessoa de Jesus em todos os ambientes, em casa, nas escolas, ambientes de trabalho etc.

“A missão não se limita a um programa ou projeto, mas é compartilhar a experiência do acontecimento do encontro com Cristo, testemunhá-lo e anunciá-lo de pessoa a pessoa, de comunidade a comunidade e da Igreja a todos os confins do mundo” (cf. Atos 1,8). (Dap 145).]

Missão é vida, jeito de ser do discípulo de Cristo. Todo aquele que tem um verdadeiro encontro com Deus se põe em saída, se põe a serviço, proclama a Boa Nova de que o Reino de Deus se faz próximo.

“A mulher, então, deixou seu cântaro e correu à cidade, dizendo a todos: ‘Vinde ver um homem que me disse tudo o que fiz. Não seria ele o Cristo? ’ Eles saíram da cidade e foram ao seu encontro” (João 4,28-30)

Ao receber a visita do anjo Gabriel e dizer sim ao chamado de Deus, o que fez Maria se não ir ao encontro de Isabel e lhe ajudar nos serviços da casa por três meses? E nós o que fazemos com as graças e bençãos que Deus nos proporciona? Saímos de nós mesmos e percebemos que Deus nos convida a servir o outro, mesmo que isso custe, canse, desgaste? Acredita-se que Maria percorreu grávida, cerca de 100 km para visitar sua prima, esta é a distância media entre Nazaré e Ain Karin (provável cidade de Isabel)ii, por vezes a pessoa a quem devemos servir está ao nosso lado, mora conosco, é nosso vizinho, é alguém que muitos não suportam, é aquele que é tratado com descaso e abandono, que ninguém quer perto: a distância e a pessoa é algo relativo, na verdade está de acordo com o chamado pessoal de cada um; uma coisa é certa, o missionário do reino não recebe a graça para guardá-la pra si mesmo, ele é convocado, abençoado e enviado a partilhá-la com os demais por meio de Palavras e Ações.

Quando Deus chama e envia os seus em missão, estes passam a ser extensão do seu amor e apóstolos de sua misericórdia. Nossa Senhora viveu isso de forma plena, aparecendo em cena nos momentos em que era preciso, assim como, assumindo função nos bastidores da historia da salvação. Missionária do Pai, ela sempre estava atenta às necessidades daqueles que estavam a sua volta (Cf. Jo 1,3) e guardando tudo no coração, dizia apenas o necessário (Lc 2,19). Muitas vezes reclamamos do afastamento de pessoas que outrora celebravam conosco em nossas comunidades, ajudavam em terços e novenas, e que aos poucos foram abandonando tais práticas; o que fazemos para trazê-las de volta? Fazemos visitas a estes, em dias comuns sem que nos sejam mandado, ou apenas os acusamos, criticamos, especulamos a respeito com os demais ou em grupinhos? A exemplo de Maria misericordiamos, proferimos palavras necessárias para trazer de volta à Cristo tais irmãos? E o mais difícil, guardamos no coração e entregamos para Nosso Senhor as palavras duras que ouvimos ou nos deixamos levar pela falta de paciência, preferindo responder grosseiramente a silenciar e rezar? Maria é a mulher da paciência. Sempre soube esperar o desígnio de Deus se cumprir, sem gritar, sem reclamar…

A paciência é amiga do silêncio e da fé, é parte fundamental do agir missionário. “…
A paciência tudo alcança” (Santa Tereza D’avila).

“Meu filho, se entrares para o serviço de Deus (…) prepara a tua alma para a provação; humilha
teu coração, espera com paciência (…) não te perturbes no tempo da infelicidade, sofre as
demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência.” (Eclo 2,1-3)

“Aceita tudo o que te acontecer; na dor, permanece firme; na humilhação, tem paciência. Pois é
pelo fogo que se experimentam o ouro e a prata, e os homens agradáveis a Deus, pelo cadinho
da humilhação.” (idem 4-6)

Deus que é puro amor nos envia em missão, sob o amparo e os cuidados maternos de
sua Mãe Santíssima. “Igreja sem Maria torna-se um orfanato”, já dizia Papa Francisco,
desse modo não há como desvincular Maria da ação Missionária, aceitemos esta divina filiação ao qual todo batizado está inserido. Um missionário que não reza o terço está fadado a viver de momentos passageiros com Deus, sem que desfrute de alimentos concretos da fé. A caminhada é longa, o caminho não é fácil, haverão momentos em que será necessário parar e descansar um pouco nos braços do Pai, tendo como consolo os carinhos da Mãe. Maria está sempre pronta para recolher os cansaços, fadigas diárias, os desafios, os lamentos e dores, as crises e vazios que são próprios da missão, e intercedendo por cada um ela diz à Jesus: “eles não têm mais vinho”, e o milagre acontece. Quantas vezes não experienciamos isso? Vocês não estão sozinhos nesta caminhada, Maria caminha convosco!

Neste Theotokos, tendo Maria como Espelho da Evangelização, sigamos ainda o
exemplo da padroeira das missões, Santa Terezinha e descubramos a graça do amor por Deus, pela Igreja, pelos irmãos e por nós mesmos, assim faremos da Vida Missão e da Missão nossa Vida, todos os dias e onde estivermos.

“Não obstante a minha pequenez… Queria ser missionário, não apenas durante alguns anos, mas
queria tê-lo sido desde o princípio do mundo e continuar até a consumação dos séculos…
No Coração da Igreja eu serei o Amor” (Santa Terezinha do Menino Jesus e da Sagrada Face).

Na escola de Maria aprendemos que somos Batizados e enviados, Discípulos e Missionários de Jesus, Profetas da verdade, da justiça e da paz, Anunciadores do Reino, Servos, e acima de tudo Filhos de Deus, Irmãos de toda a humanidade.

 

Silva, Vestemberg Aerlon
Seminarista, Diocese Porto Nacional – TO
Cf. Lucas 1, 39-47.

Fonte: https://www.a12.com/jovensdemaria/artigos/crescendo-na-fe/sabe-o-quanto-maria-andou-para-visitar-isabel
acesso em 02 de Junho de 2019.

Cidade do Vaticano em 26 de maio de 2014 se dirigindo ao grupo de peregrinos da família internacional do movimentode Schoenstatt, em ocasião da celebração de seu centenário.

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *