Pastoral da Liturgia
  • A+
  • a-

Sacrosactum Concilium: Sagrada Liturgia

A Sacrosanctum Concilium, S. C. é um documento conciliar que traz em seu conteúdo os princípios da Renovação Litúrgica e os parâmetros para a celebração do Mistério de Jesus Cristo, na Igreja em nossos dias. De modo que não é lícito celebrar a partir de elementos estranhos ao que prever o documento.

Foi no início da década de 1960 que o papa João XXIII, o mesmo que criou a Diocese de Viana, convocou a Igreja do mundo todo para se reunir com objetivo de refletir sobre a necessidade de renovação da suas estruturas pastorais, do seu modo de ser e do seu modo de ensinar, “a fim de apresentar aos homens do nosso tempo, íntegra e pura, a verdade de tal modo que eles possam compreender e a ela espontaneamente aderir”. (Cf. Introdução Geral do Comp. Vaticano II). Essa reunião recebeu o nome de Concílio Vaticano II, por ser o segundo que era realizado na cidade-estado do Vaticano; ele se deu em etapas, chamadas sessões(05 ao todo) de outubro de 1962 a dezembro de 1965. Foi o único concílio da Igreja Católica que teve um caráter eminentemente pastoral. Nele foi tratado dos mais diversos assuntos no campo da pastoral, que inclusive são pertinentes até hoje e foram produzidos documentos: constituições, decretos e declarações para nortearem a ação da Igreja dali em diante. Mas, o que mais se notabilizou foi aquele referente à Liturgia. Ele foi o primeiro documento a ficar pronto e recebeu inclusive o nome do próprio concílio: SACRONSANTO CONCILIO. Foi pela liturgia que a renovação da Igreja se tornou mais explícita para o povo. Quem não se lembra ou ao menos nunca ouviu falar da missa celebra em Latim? Em que o padre ficava de costas para o povo? E ainda tantas outras coisas que já não são mais comuns na liturgia atual porque foram mudadas pelo Concílio. A Sacrossanto Concílio, teve como intuito principal dar à liturgia um novo impulso.

Nos números 02, 03, e 04 do documento em questão temos descritos a importância da liturgia, o sentido desta constituição e o que se pretende alcançar com ela. Diz-se aí que, pela liturgia que vivenciamos a Obra da Redenção e que nada mais do que ela contribui para que a gente concretize o Mistério de Cristo em nossa vida, como também o manifeste aos demais. É nela que brilha a face da verdadeira Igreja, que é humana e ao mesmo tempo e, sobretudo divina; visível e rica de dons invisíveis; diligente na ação, mas ao mesmo tempo dedicada na contemplação; presente no mundo ao mesmo tempo em que é peregrina em busca da cidade futura. Ato seguinte, a S.C. continua a dizer que a Liturgia nos edifica como Templo Santo do Senhor; é ela que nos faz crescer até atingirmos o amadurecimento pleno de Cristo; robustece-nos as forças, para que possamos anunciar Jesus Cristo ao mundo.

É também a liturgia que mostra a Igreja como estandarte levantado diante das nações, juntando num só corpo os filhos e filhas de Deus dispersos, até que haja um só rebanho e um só pastor.

A finalidade da S.C. é relembrar princípios e estabelecer normas que possibilitem a renovação litúrgica da Igreja e lhe dêem novo impulso.

Então o que se quis e se quer com esta Constituição Apostólica é em primeiro lugar, para ser fiel à tradição, é declarar que os diferentes ritos legitimamente reconhecidos, todos têm o mesmo direito e dignidade. (aqui se quer falar principalmente do Rito Romano e dos Ritos Orientais, oportunamente falaremos sobre isso). Por outro lado também quer se fazer, segunda a sã doutrina uma completa e cuidadosa revisão desses ritos, para que adquiram novo vigor e melhor atendam às necessidades atuais.

O texto da S. C. está apresentado com um proêmio 07 capítulos e um apêndice.

Proêmio – Uma espécie de introdução ao texto.

Cap. I – Os princípios gerais da reforma litúrgica e do Incremento da liturgia.

Cap. II – O Sacrossanto Mistério da Eucaristia.

Cap. III – Os demais sacramentos sacramentais.

Cap. IV – Ofício Divino.

Cap. V – O Ano Litúrgico.

Cap. VI – A Música Sacra

Cap. VII – A Arte Sacra e as Sagradas alfaias.

Apeêndice – Declaração do Concílio Vaticano II acerca da Revisão do calendário.

Assim está apresentada de forma sintética a Costituição Apóstólica Sacrosanto Conciliu, sobre a Liturgia. Oportunamente apresentaremos mais detalhes das partes principais de documento.

Pe. Nilton Lima

Paróquia Santo Antonio

Coordenador Diocesano da Pastoral Litúrgica