Diocese de Viana

(98) 3351-1174

Campanhas e Coletas

QUERIDOS IRMÃOS E IRMÃS

Recebi da nossa Igreja diocesana de Viana, o encargo de coordenar as campanhas e as coletas realizadas ao longo do ano litúrgico. Estas campanhas e coletas visam promover a solidariedade, a partilha e a comunhão entre os fiéis, os bispos e o santo Padre. Esta rede de solidariedade tem sido um gesto eficaz da nossa corresponsabilidade no cuidado pela casa comum e por toda a Igreja.

As campanhas e as coletas da nossa Igreja são:

Visa promover a reflexão, na busca da conversão durante a quaresma, culminando com o gesto concreto da coleta da solidariedade no DOMINGO DE RAMOS. Neste ano será no próximo dia 10 de abril. O objetivo é promover e apoiar os projetos sociais da Igreja Católica no Brasil.

Sobre a Campanha da Fraternidade 2022

Celebrada no período quaresmal, a Campanha da Fraternidade (CF) convida a todos a imitar a misericórdia do Pai repartindo o pão com os necessitados, fortificando o espírito fraterno. A iniciativa está ligada a caminhada quaresmal como um dos modos de viver a espiritualidade deste tempo favorável.   

Em 2022, a CF tem como tema “Fraternidade e Educação” e o lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26). Seu início se dá na abertura da Quaresma, dia 2 de março, na Quarta-Feira de Cinzas.

Trata-se, em 2022, da terceira vez que a Igreja no Brasil vai aprofundar o tema da educação em uma Campanha da Fraternidade. Desta vez, a reflexão será impulsionada pelo Pacto Educativo Global, convocado pelo Papa Francisco. 

“Ao longo da caminhada quaresmal, em que a conversão se faz meta primeira, recebemos o convite para busca os motivos de nossas escolhas em todas as ações e, por certo, naquelas que dizem respeito mais diretamente ao mundo da educação”, convida a presidência da CNBB.

Objetivo geral 

A Campanha da Fraternidade de 2022 convida a promover diálogos a partir da realidade educativa do Brasil, à luz da fé cristã, propondo caminhos em favor do humanismo integral e solidário. 

Objetivos Específicos  

1. Analisar o contexto da educação na cultura atual, e seus desafios potencializados pela pandemia. 

2. Verificar o impacto das políticas públicas na educação.  

3. Identificar valores e referências da Palavra de Deus e da Tradição cristã em vista de uma educação humanizadora na perspectiva do Reino de Deus. 

4. Pensar o papel da família, da comunidade de fé e da sociedade no processo educativo, com a colaboração dos educadores e das instituições de ensino.  

5. Incentivar propostas educativas que, enraizadas no Evangelho, promovam a dignidade humana, a experiência do transcendente, a cultura do encontro e o cuidado com a casa comum. 

6. Estimular a organização do serviço pastoral junto a escolas, universidades, centros comunitários e outros espaços educativos, em especial das instituições católicas de ensino.  

7. Promover uma educação comprometida com novas formas de economia, de política e de progresso verdadeiramente a serviço da vida humana, em especial, dos mais pobres.

Saiba mais em https://campanhas.cnbb.org.br/

Normalmente é realizada no 3º domingo do advento, neste ano ainda não teve a data da coleta divulgada. Organizada pela CNBB com a finalidade de promover o anuncio do evangelho em nosso País, especialmente nas regiões mais pobres e com pouco presença e assistência  de religiosos e sacerdotes.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil divulgou nesta segunda-feira, 6 de setembro, o texto-base orientador e o cartaz da Campanha para a Evangelização 2021. Neste ano, uma expressão de envio missionário “Ide, sem medo, para servir”, proferida pelo Papa Francisco na homilia de encerramento da Jornada Mundial da Juventude, em 2013, no Brasil, é usada como o grande tema motivador da Campanha.

Vinculada ao pilar da Caridade das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) da Igreja no Brasil, a campanha tem como um de seus grandes objetivos “despertar os fiéis para o compromisso evangelizador e para a corresponsabilidade pelo sustento das atividades pastorais e evangelizadoras da Igreja no Brasil”.

A campanha conta com uma colaboração que repercute em cada comunidade por meio de um gesto concreto: a coleta para a Evangelização, realizada todos os anos no 3º Domingo do Advento que, em 2021, será no fim de semana dos dias 11 e 12 de dezembro.

Início na Solenidade de Cristo Rei, 21 de novembro

O secretário-executivo de Campanhas da CNBB, padre Patriky Samuel Batista, informa que a Campanha para a Evangelização tem início com a Solenidade de Cristo Rei, no dia 21 de novembro de 2021, e se estende ao longo do tempo do Advento.

“Momento em que começamos a trilhar o caminho de um novo ano litúrgico na vida da Igreja. No dia 28 de novembro de 2021, damos início a este caminho espiritual de vivência e celebração do mistério da feliz espera, de vigilância e de preparação para a vinda do Senhor”, disse.

Despertando o compromisso evangelizador em cada fiel e promovendo uma coleta em âmbito nacional, a Campanha para a Evangelização destina os seus recursos para a dinamização e manutenção dos 19 regionais da CNBB visando à execução das atividades evangelizadoras, programadas a partir das DGAE. Em muitos regionais existem atividades missionárias além-fronteiras, com apoio a diversas pastorais, serviços, organismos e movimentos.

De acordo com o padre Patriky, “a Evangelização precisa contar com a generosidade de muitos que ajudem com os bens que possuem e ofereçam a força do apoio fraterno que anima e renova a vida comunitária. Trata-se de mobilizar a Solidariedade na Evangelização. No entanto, a Campanha para a Evangelização não se resume só à coleta de recursos: a oração, o envolvimento e o acompanhamento das iniciativas evangelizadoras da Igreja são de suma importância. É viver a alegria de ser Igreja missionária em saída, a serviço do Evangelho da vida!”.

Cartaz, subsídio pastoral e orientações práticas

A publicação, de 10 páginas, apresenta as orientações pastorais e teológicas da campanha, além de um conjunto de ordem prática para sua realização. Inclui ainda a oração e o hino da campanha.

O cartaz é de autoria do artista sacro Antonio Batista de Souza Júnior, natural de Angical (BA) e hoje residente em Maringá (PR). Ele conta que com base no tema Ide, sem medo, para servir, e a campanha acontece na época do Advento, propôs a presença de Maria, com o menino Jesus, com um pergaminho (evangelho) nas mãos, enviando as pessoas para a missão de evangelizar.

“O Cristo conduz, a boa  nova, envia na figura de um sacerdote, de um jovem negro com cinco pães, fazendo referência ao Evangelho, e uma catequista que vai com a Palavra (Bíblia) a serviço do Palavra de Deus. Estas três pessoas buscam caracterizar a evangelização no dia a dia das paróquias e comunidades. No centro do cartaz, a estrela, a partir da qual a cruz se forma. Para que não percamos a referência a esse ícone forte do simbolismo da fé cristã”, explicou.

É realizada sempre na sexta-feira santa após o beijo da cruz, Neste ano é dia 2 de abril. Esta coleta é realizada no mundo inteiro em prol dos irmãos que vivem na Terra Santa, em especial a Palestina e no Oriente Médio que passam necessidade e vitimas da perseguição religiosa.

Saiba mais em http://www.comissariadoterrasanta.com.br/

É uma coleta extraordinária que acontecerá na solenidade de Pentecostes, no dia 23 de maio, com o objetivo de ajudar e organizar as pequenas comunidades rurais e as CEBs da nossa diocese.

É a coleta mais antiga da Igreja, tem como objetivo, possibilitar o santo Padre, ajudar os mais necessitados do mundo, as vitimas de catástrofes e as obras de formação dos padres nas áreas mais pobres do mundo, em especial a África, regiões da Ásia e regiões da América Latina. Normalmente a coleta acontece em torno da Solenidade dos Santos Pedro e Paulo, em 29 de Junho. Contudo ainda não foi divulgada a data para a coleta de 2021.

Sempre acontece no último domingo de agosto, mês vocacional, neste ano será dia 29 de Agosto. O objetivo desta coleta é promover a pastoral vocacional e a formação dos nossos seminaristas – futuros padres da nossa diocese.

É uma coleta que acontece em todas as comunidades católicas no mundo inteiro no 4º domingo de outubro – dia mundial das missões – organizada pela Pontifícia Obras Missionárias, tem a finalidade de promover  os trabalhos missionários nas regiões do mundo denominadas “ terras de missão” ou seja lugares marcados por guerras, graves injustiças e pouca presença da igreja católica.

 

Edição 2021

Campanha Missionária de 2021 – tema e lema

O tema “Jesus Cristo é missão” e o lema “Não podemos deixar de falar sobre o que vimos e ouvimos” (At 4,20) foram aclamados pelos participantes para serem animadores da Campanha Missionária do próximo ano. O lema havia sido escolhido pelo Papa Francisco no último mês, sendo orientador para a escolha do tema pelos presentes na assembleia.

 

Saiba mais em https://www.pom.org.br/

Concluo com as palavras do apostolo Paulo que necessitou da ajuda das comunidades para o anuncio do evangelho e as necessidades dos irmãos. “Quanto à coleta em favor dos santos, façam vocês também como eu ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vocês reserve o que conseguiu poupar. Assim não será preciso esperar minha chegada para fazer as coleta” (1ºCor. 16, 1-2).

Que o bom Deus nos ajude nesta missão. Um abraço fraternal e minhas orações.

Pe. Antonio Rodrigues

HINO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2022

Letra do Hino da Campanha da Fraternidade 2022/ CNBB

1.  É tarefa e missão da Igreja Boa Nova no amor proclamar, no diálogo com a cultura Para a vida florir, fecundar O que em redes se vai construir E a pessoa humana formar.

Quando o anseio do conhecimento Ultrapassa barreiras, fronteiras, Se destaca o ensinamento Oriundo da fé verdadeira Que nos faz nesta ação solidários Para o bem, condição que é certeira.

Refrão: E quem fala com sabedoria É Aquele que ensina com amor, Sua vida em total maestria É pra nós luz, caminho, vigor.

2. Educar é a atitude sublime Que prepara a vida futura Compreendendo o presente, pensamos: Ensinar é proposta segura Para, enfim, destacar-se a atitude Dos que em Cristo são nova criatura.

O convívio em níveis fraternos Traz em nós o sentido discreto: Na harmonia com os seres viventes E no agir o equilíbrio completo Consigamos também aprender E educar para o amor e o afeto.

3. O caminho nos quer convertidos: Mergulhar no mistério profundo Para que em sua Páscoa busquemos Compaixão no cuidado com o mundo. Conformados em Cristo seremos Aprendizes do dom tão fecundo.

Quando a plena mudança atingir Relações tão humanas, libertas, Novos rumos em redes seremos Gerações solidárias e abertas Na esperança de rostos surgirem Assumindo missões tão concretas.

4. E na casa comum que sonhamos Onde habitam cuidado e respeito Educar é o verbo preciso A cumprir neste chão grandes feitos Para o mundo poder imitar Quem na vida é o Mestre Perfeito.

Pedagogicamente é preciso Escutar, meditar, compreender Para que aprendamos com o Cristo O caminho da cruz percorrer E na escola da sua existência O Evangelho seguir e viver.

Autor: Euri Ferreira